Git – Meu primeiro commit

O Git é um VCS(Version Control System) ou popularmente dizendo uma ferramentas de versionamento, muito utilizada hoje em dia, pelo menos no mundo open-source, depois que o Kernel trocou DVCS BitKeeper e Linus Torvalds criou o Git, e vem sendo utilizado até hoje.

Para Linus Torvalds o novo sistema deveria atender:

  • Velocidade
  • Design simples
  • Suporte robusto a desenvolvimento não linear (milhares de branches paralelos)
  • Totalmente distribuído
  • Capaz de lidar eficientemente com grandes projetos como o kernel do Linux (velocidade e volume de dados)

Em todos projetos que trabalho hoje, 100% é utilizado o Git, para quem é familiarizado com terminal CLI é uma poderosíssima ferramenta, mas também tem a versão com Interface Gráfica, abaixo as versões free:

git-cole

GitEye

gitg

gitkraken

Mais opções em Git – GUI Clients.

Instalando o Git

Como ambiente para exemplos estarei realizando tudo em plataforma Linux, para outras Distribuições Linux e Sistemas Operacionais veja Git -Downloads, abaixo a instalação do sistema no Ubuntu.

Verificando a instalação:

Configurando o Git

Apenas instalando o Git você já possui o ambiente apto para usar o sistema de versionamento, porém, uma configuração inicial e apenas uma unica vez é necessário, uma simples tarefa de incluir o seu usuário e e-mail que será o que lhe identificara durante o trabalho com o git local ou remoto.

Este arquivo de configuração ele pode estar em:

/etc/gitconfig: Irá ser o padrão para todos usuarios do Linux e repositorios

~/.gitconfig: Customizado para cada usuário do sistema, utilizo este.

.git/config: Para o repositório em questão

Para facilitar a configuração e administração podemos usar o git config, uma breve descrição de seu uso:

–system: Caso utilizar /etc/gitconfig

–global: Caso utilizar ~/.gitconfig

–list: Ira listar todas as configurações

–get: Obtem o valor de uma chave em especifico

–add: Adiciona um nova chave [valor]

–unset: Remove uma chave

Para mais informações digite git config ou git help config.

Vamos criar nosso ~/.gitconfig e testar algum dos parâmetros:

Algumas observações, para adicionar uma nova chave [valor] o –add pode ser omitido, onde houver alteração devemos especificar –global ou –system para /etc/gitconfig.

Uma dica bacana, é configurar um editor para usar, no caso, eu utilizo o vim, para configurar basta executar:

Para abrir com o editor:

Sendo assim segue como ficou a identidade do git do meu usuário:

Primeiro código usando Git

Apenas para fim deste artigo, irei criar um projeto chamado hello-git no diretório /tmp, iremos iniciar o git, criar um código, realizar commit das modificações dos arquivos em questão, e toda alteração iremos adicionar e realizar commit, e assim por diante, então, vamos lá.

Após o git init dentro do diretório que iremos inserir os códigos, ele diz que criou um .git, este é um diretório oculto com uma estrutura de trabalho do git onde ele usa para “administrar” este repositório e armazena um histórico completo de todas modificações.

Antes de criarmos qualquer arquivos, um comando muito útil é o git status, onde iremos ter varias informações no decorrer da evolução do projeto como novos arquivos, arquivos modificados, arquivos que não receberam commits entre outras informações.

Vamos criar o arquivo main.c e executar git status novamente.

Então, ele nos informa que existe um novo arquivo e não esta sendo “monitorado” pelo git, para isso devemos executar o comando git add <file>, vamos fazer isso e verificar o resultado.

Agora vou realizar o primeiro commit em meu projeto.

Realizamos o commit e ele nos informa um pequena descrição do que foi feito, 1 arquivo modificado, 0 inserções, 0 remoções e o nome do arquivo criado, agora vamos criar um código simples, salvar, verificar com status e realizar um novo commit.

Adicionamos o código no main.c e salvamos, executando o git status ele nos informa que o main.c foi modificado, e que podemos adicionar ele e realizar um commit ou descartar com git checkout — <file>, como podem ver, o git status ajuda muito e auxilia no fluxo do repositório.

Para finalizar, vamos ver como visualizar todos os commits, quem fez, data de alteração e demais informações usando git log.

E agora temos nosso primeiro projeto ou melhor, arquivo sendo versionado com Git e realizando commits.

Considerações finais

Vimos apenas uma ponta desse imenso iceberg que é o Git, e nos limitamos apenas em criar um projeto e inicializar um Git, onde poderíamos ir além, de “clonar” um repositório até mesmo trabalhar com um git remoto como Bitbucket e GitHub entre diversos outros que iremos ver mais a frente.

A ferramenta é mantida sobre a licença GNU GPLv2, e quem tiver curiosidade sobre o nome acesse o Wikipedia que é bem interessante.

Referências

https://git-scm.com/book/pt-br/v1/Primeiros-passos

https://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_de_controle_de_vers%C3%B5es

Share Button

CC BY-NC-SA 4.0 Git – Meu primeiro commit by Cleiton Bueno is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.